Blog da Evolução em Marketing

/Blog da Evolução em Marketing/

Um plano ágil (3 passos) para SEO 

Como conseguimos botar o termo Evolução em Marketing na segunda página no Google? Se você parar para pensar é um termo tão genérico e estamos juntos por exemplo com outras agências de mais tempo no mercado, além de reportagens da Exame e artigos do mestre Kotler. E aí, qual foi nossa manha? Hoje vamos dar o passo a passo para você subir suas buscas no Google. A principal razão que os robores do Google buscam para subir um website é que ele ofereça um conteúdo relevante de qualidade para os seus usuários. Dito isso, se você sabe que quer falar sobre mercado financeiro, por exemplo, você sabe que vai precisar abordar alguns assuntos como macroeconomia, bovespa e seus principais índices, fundos, RF, cenário internacional, análise gráfica e balanços de empresas. Inicialmente você vai esmiuçar um pouco o conteúdo disso tudo. A Evolução Em Marketing produz artigos para blogs nessa área também. Ok, muito bem. O segundo passo será fazer uma campanha Adwords - não sem antes fazer aquela lista com as 15 palavras-chaves mais importantes pro nosso negócio - com as extensões de links desses artigos. Agora vem o pulo do gato. Ao analisarmos os termos de pesquisa para as palavras-chaves que escolhemos, teremos alguns insights sobre os artigos que produzimos. Qual a maior demanda de busca e o principal, como vamos trabalhar essas palavras-chaves daqui [...]

Personas

Personas tem tudo a ver com Branding, vamos combinar? Lembra daquela história de personalidade da marca? Então, Persona nada mais é do que a personalidade do seu perfil na Rede Social. Quando falamos de mercado, é claro que sempre temos diretrizes pré-definidas, outras nem tanto. Quer um exemplo? Os bancos. Ultimamente os bancos tentam, em meio a uma crise da economia (com juros altíssimos, certamente eles estão com toda pampa para investir em marketing, não é verdade?), mudar o posicionamento. Pense em como o Banco Original e a bandeira de cartão de crédito Nubank estão entrando no mercado. Eu diria que eles tem uma personalidade de marca bem forte e que tem fugido um pouco das diretrizes pré-estabelecida séria, cinza e sisuda do setor bancário. O setor financeiro, no entanto já costuma preencher com mais cores seu marketing. Bom, me desculpe! Eu sei que eu fugi um pouco do assunto Personas, mas foi pra mostrar que sim, Personas é mesmo uma extensão do seu Branding. Hoje o Marketing vem todo integrado com o digital e suas ramificações. Mas vamos lá: para elaborar as Personas (sim, o ideal são três  personas por página) de sua página é preciso estabelecer 4 ambientes psicológicos: cotidiano, medo, sonho e lazer. Olha um exemplo: Persona 1 - JP tem 35 anos é casado e trabalha como procurador da Receita Federal no sul do país. Ele [...]

Vamos falar sobre SEO?

Imagine um jovem rapaz que acaba de escolher uma carreira para a sua vida, por exemplo a de saxofonista dentro de uma orquestra. Este jovem, muito esperto e focado sabe que vai ter que organizar seus estudos e conhecer os principais tipos de sax: barítono, tenor etc. Além disso, precisa se cercar de uma rede de músicos. E principalmente, ter muito conteúdo. Hoje em dia, muitos já sabem que SEO, à grosso modo, é a hierarquia dos cabeçalhos de um site e a densidade das palavras-chaves dentro do conteúdo do seu website para uma visibilidade maior no mecanismo de buscas indexados do Google, Bing, Yahoo etc. Mas note que no exemplo do saxofonista, eu deixei claro que o principal do músico é o seu conteúdo, o domínio do instrumento e da teoria, e para ter uma boa estratégia de SEO é a mesma coisa. Por isso é tão importante ter um conteúdo relevante de acordo com os seus bens e serviços. Nesse sentido, temos algumas ferramemtas para descobrir como o Google Planner (ferramenta do Google Adwords), o plugin de SEO do Wordpress Yoast e para o monitoramento e portanto, possíveos alterações de rota na estrutura do Website o próprio Google Analytics. Para os algoritmos do Google as redes sociais adquirir grande importância de um tempo pra cá (lembra da idéia do saxofonista que se cerca de [...]

Como usar o CRO e o ROI

Temos tantas siglas em marketing digital, né não? SEO, CPC, CPA, e tantas outras. Mas bom, se você já leu nosso E-book sobre as 8 ferramentas do Marketing Digital você já está inteirado de todas até então. O CRO é só a cerejinha do bolo que faltava. Conversion Rate Optimization nada mais é do que a taxa de conversão dos leads dentro da nossa campanha. Isso quer dizer basicamemte duas coisas: se nosso ROI foi maior do que 1 e em que grau alcançamos nosso objetivo. Não chega a ser uma tarefa fácil, mas com tempo, dedicação e estratégia chegamos lá. Por exemplo, digamos que seu site tenha 1000 visitantes mensais dentro da aba do principal produto carro-chefe da empresa, sabemos disso via Analytics. Desses 1000 visitantes, 200 preencheram o formulário, o que dá uma taxa de leads gerados de 20%. Não é uma taxa alta, é minimanente satisfatória. Mas nesse caso, também não gastamos um centavo com campanhas Adwords ou FaceAds. Só compartilhamos conteúdo relevante e fizemos o visitante interagir um pouco (o que já conta como engajamento). Desses 200 que preencheram o formulário, ao trabalharmos e-mail marketing e retargeting, conseguimos vender 50 produtos: uma taxa de conversão em compras de 25% em cima dos nossos leads qualificados. Cada produto vendeu a 20, conseguimos 1000 pilas. Cada produto fabricado custou 600, temos um ROI orgânico (sem [...]

Marketing de Conteúdo e Landing Pages

O fim do Marketing de Conteúdo é puramente a conversão de leitores em consumidores. A produção de conteúdo relevante transporta em um dado momento o leitor para a Landing Page onde acontece a conversão. É importante saber o que esse público está interessado em ler, assistir ou mesmo sentir! Portanto, saber o que é relevante, útil, divertido e até o que possa ser considerado ofensivo ou enganador para sua audiência é vital. Para criar uma página da sua empresa, é importante estar atento a detalhes como os atributos e os valores da SUA marca. O seu branding também pode ser iniciado nas redes sociais com a criação da persona da sua página. Sempre atentando para a venda da idéia, podemos ampliar a proposta de valor da sua empresa. Para uma marca de roupas com atributos de representatividade negra, a Responsabildade Social é um valor bem-vindo. Para um bar de cervejas artesanais, um conteúdo relevante esclareceria sobre os diversos tipos de cervejas. O MKT de conteúdo não se aplica a todo tipo de negócios, mas cai como uma luva para muitos serviços ou o produto que vende uma idéia agregada. Como o MKT digital muda muito rápido, é importante estar antenado. Um site de E-commerce pode se utilizar de uma tag de nuvens, mas para blogs a ferramenta tem caído em desuso, por exemplo. Por outro [...]

Gestão de portfolio por matrizes (BCG e McKinsey)

Gestão de marca e gestão de portfolio serve não só para gerenciar o fluxo de caixa da empresa, mas também aumentar mercado e fortalecer a marca. Mas isso só costuma acontecer quando você conhece bem seus produtos e seu público alvo. Algumas ferramentas como a matriz BCG e a matriz McKinsey podem ajudar na tomada de decisão. Afinal, qual produto deve ganhar investimento, reposicionamento de público-alvo, design ou valor agregado, receber uma promoção de vendas ou ser descontinuado? Matrizes são importantes porque dão uma visão geral ao profissional de marketing. A gestão de marcas no MKT Digital pode ser aplicada no E-commerce sem muita complicação. E é de fato efetivo se você já tem uma receita. No caso da matriz em si, - e aqui estamos falando do MKT Tradicional mesmo (Outbound) - os produtos são posicionados em 4 quadrantes que te auxiliam na estratégia. O gráfico relaciona participação de mercado e a receita dos seus produtos. O cruzamento dessas duas dimensões é o que vai definir quais estratégias seguir. Conhecer o faturamento dos seus 4 produtos principais e seu ROI é saber o retorno em uma promoção de vendas nos próximos meses. Se você tem o comportamento do seu consumidor mapeado, você tem as 3 ou 4 personas a respeito da sua marca (ou deveria ter!). Desta forma, você vai conseguir oferecer um produto ao [...]

Branding e a ampliação dos sentidos

Quando uma marca começa a entrar no coração e na mente das pessoas, estamos falando de branding. O posicionamento consistente, alinhado com a marca e seu público-alvo dá a origem a um laço afetivo com o consumidor. Aqui, experiências sensoriais como tátil, auditiva, palatável e olfativa entraram fortemente em cena há alguns anos. Transformar um produto com pouco valor agregado e vender atributos, benefícios e valores não chega a ser exatamente uma tarefa fácil. Design e estratégia são elementos importantes na jogada. Um estudo interessantíssimo constatou uma correlação de 41% entre o efeito de marcas que aplicaram o branding e as marcas religiosas. Repare nos elementos em comum de uma marca bem sucedida com as religiões: 1. Missão e visão claras 2. Sensação de pertencer 3. Capacidade de contar histórias 4. Apelo aos sentidos 5. Inimigo definido 6. Mistério 7. Rituais 8. Símbolos 9. Evangelismo A Apple, por exemplo, tem rituais como o lançamento de produtos ao vivo; seus mistérios, que nos fazem imaginar como produtos tão inovadores surgem, e também inimigos, como o Google. O inimigo confere identidade. As experiências sensoriais vão além da nossa imaginação. Você sabia, por exemplo, que a Kellog's patenteou o barulho dos sucrilhos quando a gente mastiga e que existe uma essência de cheiro de carro novo para os automóveis? É insano, but is true. Sempre fomos bombardeados pelo apelo visual das [...]

Anúncios In-Stream do YouTube

Agora devidamente certificado pelo Google para prestar serviços de anúncios online pela Evolução em Marketing, resolvi elencar alguns vídeos chamados TrueView categoria In-Stream do You Tube - aqueles irritantes 5 segundos antes de qualquer vídeo do site. Aquele tempo insano que você tem para chamar alguém para assistir o seu anúncio. Uma coisa "I only got four seconds to save my world". Geico Seguros (das gringa) Também confesso que gosto bastante desse aqui da Bud O primeiro puxa muito para o lado viral, enquanto o segundo faz um alinhamento de valores. Ambos branding, apenas fortalecem a marca e não vendem nada. O último traz uma produção em série para o carnaval de 2017, também interessante.   Conferiu? E aí, o que achou? Deixa nos comments pra eu saber sua opinião!

E-commerce fora da crise de 2016

Setor de E-commerce cresce a taxa de dois dígitos e está fora da crise dos últimos anos. Dentre as alternativas para quem está começando, estão os Market Places.  O gasto dos consumidores está migrando para o online. Por isso, a área é considerada fora da crise por crescer a dois dígitos em época de crise. A revolução do E­commerce tem surpreendido até mesmo chefes de marketing. Até mesmo os varejistas hoje precisam se adaptar a um novo jeito de vender seus produtos nas lojas físicas, o conteúdo relevante virou parte essencial dos alinhamentos do consumidor com a marca. E as tendências mudam a todo momento. O Google hoje, fatura mais de 15 bilhões com o Adword e o Facebook, em torno de 6 bilhões com seus anúncios. Pode ter certeza que grande parte vem do E-commerce e de seus market places (O Mercado Livre é o principal que vem à mente quando pensamos em conceitos 'market places'). Claro que o objetivo de todo empreendedor é sempre impulsionar suas vendas. Mas gerar leads (e­mails deixados no site) e trabalhar o funil de vendas através de cupons, conteúdo e e­mail MKT tornou-se uma bela ferramenta de mkt de baixo custo e alto valor agregado. Conteúdo gera tráfego, tráfego gera leads e leads convertem em vendas. Estamos migrando agora para um conceito de Re-targeting de conteúdo, hoje em dia. Para quem não sabe, re-­marketing e re-­targeting é aquele [...]

MKT de Serviços: variabilidade e intangibilidade

A variabilidade e a intangibilidade dos serviços foi o motivo para criar um marketing à parte. Por ser intensivo em recursos humanos, a variabilidade dos serviço prestado ocasionalmente pode nos fazer sentirmos bem tratado, porém muitas outras vezes não. A intangibilidade surge em um primeiro momento como medida de se tentar avaliar a eficiência do serviço. O Marketing de Serviços surgiu como uma forma de fidelizar os clientes. Ficou comprovado que angariar novos clientes é 8 vezes mais caro do que manter a base. Ferramentas de relação com o cliente como o CRM, surgiram como necessidade das empresas em estarem em constante relacionamento com sua base de clientes. Foi preciso achar novas formas de mensurar a satisfação. Repare que todo marketing digital tem o mesmo objetivo em um primeiro momento: encantar o cliente. Em MKT de serviços, assim como no Digital existem pesquisa através de formulários para tangibilizar a satisfação do cliente como o SERVQUAL que pode ser feito via Google Forms hoje por exemplo. E se hoje, pela conveniência do mundo moderno, tudo é conveniência e serviço, as premissas dessa abordagem do MKT tem grande importância. A finalidade é eliminar falhas do processo produtivo de uma pizza e a entrega ao cliente sentadinho na mesa para fidelizar o cliente. É interessante reparar que o MKT de serviços guarda similaridades com o MKT Digital. O E­mail MKT, [...]